“Em verdadeira democracia não há deuses ou inimputáveis”

Herman José nasceu em Lisboa em 1954. Completou o liceu na Escola Alemã de Lisboa, em 1974. Humorista, ator e cantor, tornou-se conhecido do público com Sr. Feliz e Sr. Contente, em 1975, um número musical feito em parceria com Nicolau Breyner.Segura uma foto sua de 1974 (StevenGoverno/GLobal Imagens)
Herman José nasceu em Lisboa em 1954. Completou o liceu na Escola Alemã de Lisboa, em 1974. Humorista, ator e cantor, tornou-se conhecido do público com Sr. Feliz e Sr. Contente, em 1975, um número musical feito em parceria com Nicolau Breyner. Segura uma foto sua de 1974 (StevenGoverno/GLobal Imagens)

Onde é que estava no dia 25 de Abril?

A data apanhou-me a meio da minhas provas escritas de matemática do “Abitur” (exame final do liceu da Escola Alemã de Lisboa). Deu-me imenso jeito porque, na altura, já usava o meu tempo livre como músico semiprofissional, o que me deixava muito pouco tempo para estudos. Pude ficar em casa a preparar a matéria.

Qual foi a sua reação?

De grande alívio, assim que percebi que a revolução implicava a revogação da ordem que a PIDE me dera meses antes para sair do País, na sequência da minha opção pela cidadania alemã para não ter de cumprir o serviço militar.

Que episódio o marcou mais?

A mensagem televisiva do José Fialho Gouveia, que de alguma maneira nos transmitiu a sensação de que a revolução era à esquerda e não à direita, o que tornaria a situação muito mais explosiva e incontrolável.

Qual é a figura que na sua opinião marcou o 25 de Abril?

O marechal Spínola, cuja pose de Estado e experiência se revelaram essenciais para que o golpe não descambasse. Read more